Orientações para os alunos

Yoga é, em sua origem, uma disciplina voltada para objetivos distintos daqueles que podem ser obtidos por meio da ciência, da filosofia e da religião.

Trata-se de uma busca baseada na concepção de que nem tudo pode ser experimentado com a mente, de que ela possui seus limites e que, para ir além desses limites, é necessário amenizar ou neutralizar suas atividades.

Não se trata de uma experiência de sono, visto que, ao suspender as atividades da mente, deve-se também cultivar um estado ativo de cognição.

Na Índia, surgiram algumas dezenas de tradições de yoga, associadas a muitas escolas de pensamento e embasadas em muitas formas de disciplinas práticas.A prática que se faz nas escolas e núcleos de yoga é, em grande parte, herdeira de uma tradição chamada haṭha-yoga.

Devido a fazer grande uso de práticas corporais, que trazem visível bem estar e comprovado benefício à saúde, sua disseminação tem ocorrido de forma bastante ampla e variada.

No yoga contemporâneo, enfatizam-se práticas que desenvolvem a perccepção da relação entre corpo, respiração e mente, produzindo, assim, um equilíbrio entre essas três faculdades.

No nosso caso, tratamos o yoga como uma prática que visa a saúde integral do indivíduo, que começa pelo corpo e pela mente, mas que visa objetivos relacionados aos seus aspectos emocionais, intuitivos e criativos.

Seguem abaixo algumas informações baseadas nas perguntas que muitas pessoas fazem quando começam a praticar yoga.

1. Para praticar yoga, não é necessário ser “zen” ou “mais equilibrado do que os outros”?
Yoga pode trazer mais equilíbrio, senso de presença e autoconhecimento, caso seja essa a intenção do aluno, porém, isso não é nem um pré-requisito, nem o objetivo da prática. Caso a pessoa sinta que não tem a capacidade de concentração que gostaria de ter, a prática de yoga poderá contribuir para que ela alcance seu ideal, mas está muito longe de ser uma atividade que crie um padrão fixo de comportamento.

2. Yoga é ou não é religião?
Ainda que seja uma prática que tenha sua origem no contexto hinduísta, ela, já na sua origem, tem um caráter de contracultura, sendo, dessa forma, o avesso dos padrões comportamentais exigidos pela religião hinduísta. Sua história é longa, mas, em síntese, yoga é uma coisa e hinduísmo é outra.

3. Pode-se comer antes da aula de yoga?
Por exigir uma intensa atividade corporal, não é aconselhável que o aluno esteja em processo de digestão durante o momento da prática. Cada pessoa tem um tempo diferente de digestão, mas, orientamos que tenha um intervalo de aproximadamente 3 horas entre sua última refeição e a aula.

4. Qual é a roupa adequada para a prática de yoga?
Procure utilizar roupas leves e confortáveis, que permitam que o corpo realize sua prática sem limitações. E, aos que nunca praticaram nenhuma forma de yoga: não é necessário tênis. A prática é feita com os pés descalços.

5. Pode-se praticar sozinho?
Incentivamos que os alunos, aos poucos, façam sua prática em casa, independentemente da orientação do professor. Para isso, deve manter-se atento aos detalhes e sequências das práticas, para que possam reproduzi-las individualmente. Caso tenha dúvidas, é importante que pergunte e esclareça todas as dúvidas.

6. Procure ritualizar a prática, isto é, trate-a como um momento especial em que somos orientados a buscar contato com alguns aspectos do nosso ser que, em geral, não somos incentivados a ver. Por isso, a introspecção é bem vinda, a auto-observação e a concentração também.

7. Todos podem conviver bem com seus próprios limites. A busca pela auto-superação é bem vinda, desde que tenha como origem a sua própria vontade. Procure sempre reavaliar qual a origem do desconforto com as próprias limitações. Muitas vezes, desejamos nos modelar para ganhar a aceitação dos outros. Yoga serve para superar esse desejo de aceitação.

8. Fundamental: antes da aula, comunicar sempre que houver alguma circunstância relacionada à saúde, como dores de cabeça, lesões, etc.